02/03

Meu apelido é Ming-dona-de-casa (risos). Eu frequentemente escuto que eu faço tarefas domésticas bem, e eu fui escolhido pelos membros do SEVENTEEN como ‘a pessoa nº1 que você levaria com você para uma ilha deserta’.

Assim como eu escrevi no meu perfil que a minha especialidade é ‘cozinhar comidas sem nome’, eu não olho para receitas; eu vou, ‘vamos tentar misturar isso e isso’ e mostro a minha imaginação, eu gosto de criar coisas dessa forma. Por exemplo, quando os membros estão fazendo dieta, eles só comem peito de frango, eles rapidamente ficam enjoados de comer a mesma coisa todo dia. Sendo assim, um dia, eu descobri batatas fritas na geladeira do dormitório, eu assei as batatas e removi o óleo, então misturei com peito de frango, arroz e kimchi e fiz arroz frito. Os membros que comeram aquele arroz frito disseram que estava delicioso e ficaram felizes, então isso me fez muito feliz também (risos). No reality ‘Seventeen’s One Fine Day – 13 Garotos Náufragos’, eu misturei macarrão, anchovas fritas, e também preparei um frango cru inteiro e transformei em frango frito. As batatas doces fritas foram muito populares com os membros.

Eu não sou bom apenas em cozinhar, eu também sou bom em pensar em maneiras de consertar coisas. Quando a luz no banheiro do dormitório não ligou, eu peguei a lâmpada no meu quarto e usei como uma substituta; quando o suporte do chuveiro estava quebrado, eu colei um cabide para formar um suporte substituto. Para a vida no dormitório, quer seja lavar a louça suja ou limpar, lavar roupa, etc, eu tomo a liderança em fazer coisas que todos não gostam, eu sinto como se eu fosse ‘Ming-dona-de-casa’ que é responsável pelos serviços domésticos. Quando a sala estava muito imunda, eu disse ‘todo mundo se reúna~!’, e nós limpamos a sala juntos.

Eu acho que minha personalidade tem sido assim desde a infância. Eu tinha muitos amigos, muita curiosidade e vivacidade. Além disso, eu era uma criança que não tinha medo de desafios.

Na pré-escola, eu era muito brincalhão. Mesmo que eu não consiga lembrar as brincadeiras que eu fazia em detalhes, eu me lembro de brincar com meus amigos e me machucar, ou cair e chorar; eu definitivamente lembro que eu estava sempre correndo por aí.

Do ensino fundamental até o segundo ano do ensino médio quando eu entrei na indústria de entretenimento, eu continuei jogando futebol. Eu era um atleta no time da escola, minha posição era atacante. No ensino fundamental, meu time chegou a ganhar o segundo lugar em um campeonato nacional. Mesmo continuando a jogar futebol porque eu gostava, não era tudo. Futebol era só um hobby, e eu pensava que minha maior meta era estudar. Meus pais eram o tipo “Faça o que você gosta de fazer.”, eles não me obrigavam a estudar. Apesar disso, eles diziam, “Se você não decidiu o que você quer fazer no futuro, é importante que sua prioridade seja estudar”. Então, eu estudei muito. Minha matéria favorita era matemática, calcular mentalmente era minha especialidade (risos).

Minha ambição na época das minhas baixas notas no ensino fundamental era ser um policial. Apesar disso, a área que eu tinha paixão naquela época era construir coisas; eu gostava de modelos de plástico (para montar) ou construção ou desenho. No ensino fundamental, eu recebi prêmios por vários concursos na cidade, incluindo receber um prêmio pelo “avião de borracha motorizado”, um modelo voador de um avião feito de borracha. Como eu era novo, eu realmente não pensei direito, eu até pensei “Ser um policial parece mais divertido do que ser um arquiteto”. Se eu não fosse um membro do SEVENTEEN, eu provavelmente seria um designer de moda ou um chef. Atualmente, eu tenho muito interesse em cozinhar, se eu tiver tempo algum dia, eu espero obter um certificado de chef.

Minha chance para debutar veio por um recrutamento. No meu segundo ano do ensino médio, eu estava passando na frente da minha escola, indo para casa depois das aulas acabarem, quando alguém começou um conversa comigo, e então eu recebi uma ligação dizendo “Vamos nos encontrar uma vez”. Você normalmente prepara algo pra uma audição antes de ir, certo? Mas naquele tempo eu não tinha interesse em cantar ou dançar, eu nem conseguia cantar ou dançar. Eu não tinha nenhum interesse na indústria de entretenimento. Eu era do tipo de ficar ao ar livre, então eu não gostava de brincar dentro de casa; eu especialmente não tinha ido para lugares tipo karaokê.

Um secretário (na Pledis) me disse “Está tudo bem se você não consegue fazer nada, só venha aqui e mostre seu rosto”, então eu fui até o fim. Eu lembro de estar tão decepcionado quando eu ouvi “Tente cantar” (risos). Até para dançar, só era eu balançando meu corpo e batendo palma, então eu não pensava que eu ia passar na audição, mas eu fui surpreendido quando uma ligação veio uma semana depois, me dizendo “Você vai começar suas lições a partir da próxima semana”. Depois de consultar meus pais, que responderam, como sempre “Faça o que você gosta”, eu virei um trainee.

Sou da cidade de Anyang, Gyeonggi-do, nos subúrbios de Seul. No Fundamental, eu ia para Seul para ter aulas; quando fui para o Ensino Médio, comecei a viver em um dormitório em Seul. Quando me tornei um trainee, S.Coups, Woozi e Hoshi já estavam lá, essas três pessoas me ensinaram muitas coisas. Todos os dias eram repletos de coisas novas, era uma maravilha. Enquando eu tinha aulas de canto e dança, e vendo eu me esforçar, percebi que “daqui para frente, eu comecei a trilhar o caminho para uma outra vida”. Como não sou tímido com estranhos, acho que sou o tipo de pessoa que consegue se adaptar rapidamente bem a um novo ambiente. Costumes foram agregados a minha personalidade naturalmente brincalhona e cheia de cor, então acredito ter amadurecido minha forma de pensar.

Se eu continuasse a ter pensamentos como “Não tem nada de emocionante em ser cantor”, acho que sequer estaria aqui agora. O motivo da minha mudança foi nós termos feito uma apresentação para alguns representantes japoneses que vieram ao escritório. Eu era trainee há uns três ou quatro meses naquela época e não era muito bom em cantar e dançar, mas gastamos algumas noites juntando nossas forças e nos preparando para essa apresentação. Eventualmente mostramos nossa dança e música, e quando eu ouvi as palavras, “Isso foi legal!”, pela primeira vez eu me senti recompensado. Também me senti realizado como cantor quando fizemos, durante nosso pré-debut, um show para 200 pessoas; eu pensei, “Quero continuar nesse caminho!”.

Agora que eu debutei com os membros, nós tivemos a chance de ir a vários países, incluíndo o Japão, e passamos por coisas muito divertidas. Minha meta atual é fazer com que mais e mais pessoas conheçam o Seventeen. Para isso, quero sempre trabalhar animado, com um sorriso no rosto. Também quero focar minha energia no estudo da língua japonesa. Agora, estou gradualmente tentando usar o japonês que aprendi quando trainee, sempre que lembro. No futuro, como as chances de termos concertos no Japão, provavelmente, aumentarão, estou pensando em começar a estudar novamente.

TRAD
jp/cor: _J_Kei
cor/ing: nutjereon
ing/pt-br: Gabi, Mari e Vee – Seventeen Brasil