02/03

Eu nasci em Nova York, nos EUA. Meu pai é coreano, minha mãe é americana. Meu stage name, Vernon, é o sobrenome da minha mãe.

Mesmo tendo morado em NY, eu não lembro claramente pois era muito novo. Meus pais dizem que eu participei num “concurso infantil”. As crianças subiam no palco com seus pais. Todo mundo ficava parado por causa do nervosismo, ficavam perto de suas mães. Mas quando eu estava no palco eu sempre sorria e dava risada. Meus pais pensaram que aquele era um lado meu que eles raramente viam, então eles dissseram “Não sabíamos que no futuro ele estaria se apresentando na frente de tantas pessoas, ou atuando” e eu penso muito nisso.

Tanto meu pai quanto minha mãe são artistas, então desde que era criança sabia muito sobre arte. Em nossa casa, os trabalhos dos meus pais ficam expostos aqui e ali. Durante feriados, eu, meus pais e minha irmã íamos em exibições de arte. Nós também dávamos festas em casa e convidávamos artistas como escultores, músicos e produtores de filmes que eles conheciam. Embora eu não tenha talento nenhum para desenhar como meus pais (risos), desde sempre minha vida é conectada com a arte, e eu gosto disso até hoje. Por causa da forma como cresci, eu sinto que fui muito afetado por isso.

Quando eu estava no primário, eu gostava de brincar na rua, mas havia muito trabalho em casa. Eu estudava numa escola particular, enquanto todos os meus amigos iam para uma escola pública. Por causa disso, nós nos distanciamos e não conseguíamos mais brincar como antes. Então, naturalmente, eu comecei a ler e assistir muitos filmes. Eu também assistia muitos videoclipes de artistas ou curtas pela internet.

Meu favorito era “O Tigre e o Dragão” e “Matrix”. Embora ambos tenham sido lançados antes de eu nascer, em minha casa haviam muitos DVDs e videos que meus pais compravam. Naquela época, eu achava que os filmes de ação eram muito legais, mas recentemente eu reparei que eles têm um significado muito mais profundo. Graças aos meus pais que me deram a chance de assistir filmes bons desde pequeno.

Quando eu era mais novo, tinha o sonho de estudar fora, nos EUA, e aprender sobre filmes. Conforme eu começava a gostar mais e mais de filmes, eu queria me tornar um diretor ou parte do staff que tem contato com a produção cinematográfica.

Na verdade, havia mais um sonho que eu não contava para ninguém. Eu queria aparecer em um filme. Conforme assistia ‘Harry Potter’, com Daniel Radcliffe e Rupert Grint, eu tinha esse pensamento em minha cabeça: “Eu gostaria de poder ser como eles.”

Então quando alguém perguntava sobre meus planos para o futuro, eu escondia minha real esperança e respondia: “Eu quero fazer filmes.” Já que eu venho de uma família de artistas, eu me sentia próximo do sentimento de “fazer algo”, mas eu sentia que ser uma figura pública era uma história de um mundo diferente.

Então minha história de “pessoa pública” começou através de uma coincidência. Eu encontrei uma pessoa na estação de metrô na frente do meu colégio. Eu falei com meus pais, eles me apoiaram e disseram “essa é uma ótima chance, por que você não tenta?”. Então eu pensei: “ah, eles devem ter reparado na minha real paixão há muito tempo.”

Na verdade, eu já havia ouvido sobre K-POP nas ruas, mas não sabia quase nada sobre isso. Eu só dançava quando estava brincando com os meus amigos da escola. Eu não queria mostrar minha dança para ninguém, era vergonhoso! (risos). Então quando me tornei um trainee por quase três meses, era difícil de acompanhar. Eu aprendi como usar minha voz por um professor de canto, mas eu aprendia devagar. As aulas de dança eram divertidas, mas porque as pessoas ao meu redor eram tão boas, eu ficava preocupado. Contudo, eu já havia me acostumado ao cansaço, e eu acho que qualquer trabalho é cansativo de qualquer jeito. Quando eu não sabia algo, eu perguntava para os outros membros e eles respondiam gentilmente. Conforme o tempo passava, eu fui, aos poucos, ganhando confiança em canto e dança. Por que eu comecei a viver no dormitório, eu aprendi muito sobre boas maneiras e como ser parte de uma sociedade. Eu também aprendi sobre construir meu próprio ponto de vista e expressar minha opinião.

Na “hip hop unit”, eu mesmo queria ser parte disso, então eu me esforcei bastante. Eu gosto de hip hop desde o ensino fundamental, ouvindo músicas pela internet. Eu gosto de J. Cole e do GD sunbaenim do BIG BANG, principalmente da sua unit com T.O.P sunbaenim, GD & TOP. Mesmo antes do objetivo da unit ter sido decidido, havia alguns membros que já tinham aprendido sobre rap, e eu os invejava. Então, um dia, o professor que ensinava sobre rap e hip hop apareceu, e eu disse que queria aprender sobre rap também e mostrei algumas letras que eu havia escrito. Ele viu e disse: “Essas letras são boas, você devia participar das aulas de rap.” Eu fiquei muito feliz! Eu gostei muito de estar nas aulas que eu queria. Toda vez que acabava, eu pensava “Eu quero fazer mais.” Eu sou o tipo de pessoa que quando gosta de algo, quero focar naquilo e tentar até o final. Mesmo quando eu estava só no começo, eu pensava “Isso é legal, eu quero fazer isso.”

Quando eu escrevo minhas letras, minha expressão favorita é “divirta-se”. Meu objetivo não é “ser bem sucedido”; meu estilo é mais “vamos fazer isso e aproveitar!” Quando eu comecei a fazer rap, eu não pensava muito em “como brilhar dentre os 13 membros”, eu só queria realmente fazer rap. Recentemente, eu consegui um treinamento pessoal e, faço não só para aumentar minha energia, mas porque eu realmente gosto. (risos)

Os membros do SEVENTEEN são como irmãos para mim. Somos muito próximos. Eu quero aproveitar minhas atividades como membro do SEVENTEEN. Não só nosso papel modelo de grupo que já existe, eu espero que continuemos a fazer atividades juntos e, assim, combinando livremente e criando nossa própria cor.

TRAD
jp/cor: _J_Kei
cor/ing: svtrabbits
ing/pt-br: Lais – Seventeen Brasil