02/03

Meu papel no SEVENTEEN é “cérebro”. Eu gosto de livros, sejam de mistério, romances históricos, literatura, poesia; eu não escolho baseado nos gêneros, se eu tiver tempo, estou sempre lendo. Depois de ler um livro emocionante, minhas lágrimas não param. Não costumo ser do tipo de chorar, mas quando fico emocionado com um filme ou livro, eu choro muito. Recentemente, eu li 3 dos livros de Higashino Keigo. Na Coreia, ele é muito popular. O que deixou uma marca profunda em mim foi “Namiya Zakkaten no Kiseki” (lit.: Milagre da Loja de Conveniências Namiya). É uma história sobre a comunicação entre o passado e o presente através de cartas, foi muito emocionante.

Minha cidade natal é Changwon, em Gyeongsangnam-do. Eu não lembro muito do jardim de infância, mas uma coisa que ficou na minha memória é um escorregador alto. Eu ia muito ao parque da vizinhança com os meus amigos, foi uma infância muito normal. No ensino fundamental, eu fazia brincadeiras com um bom coração e me divertia com os meus amigos. O mais divertido era depois das aulas, fazíamos competições de desenho no quadro negro. Agora que eu penso nisso, era engraçado e fofo. (ri)

Eu gostava de brincar com os meus amigos, mas eu também gostava de fazer coisas quieto em casa; desde aquela época eu leio muito. Na 1ª série, alguém me comprou a coleção inteira de Records of the Three Kingdoms, e eu li várias vezes. Eu também gostava de resolver problemas em jogos de computador.

Eu comecei a gostar de música no fim do ensino fundamental. A banda de rock Buzz era famosa, então eu me animei com meus amigos e disse, “Vamos tentar ser uma banda também!”, e aprendemos a tocar instrumentos juntos. Eu aprendi violão, meu amigo aprendeu bateria. Eu tinha o sonho vago de “Seria bom fazer um show em Seul algum dia”, então comecei a frequentar uma escola de música. Treinando dança com meus amigos, recebemos até um convite para dançar no ginásio do nosso colégio. Eu não dançava bem na época, mas é uma memória divertida. (ri)

Com a sugestão do meu professor na escola de música, eu fui em uma audição. Eu disse para os meus amigos, “Se eu sonho em ser um artista, com certeza vai ser uma boa experiência,” e fui para a audição com o objetivo de ganhar experiência. No fim, não consegui acreditar que passei. Então eu vim para Seul, e me tornei um trainee a partir do 9º ano.

Na verdade, antes de passar na audição, eu pensei, “Quando eu crescer, quero fazer música livremente com os meus amigos,” ou, “Eu quero viajar pelo mundo”. Eu tinha interesse em muitas coisas, mas eu nunca tinha pensado sobre o que fazer como um emprego futuro. Mas tendo passado na audição, eu criei o objetivo de ser um cantor. Meu pai ficou muito feliz e está me apoiando na minha busca pelo meu sonho agora. Estou sempre preocupado sobre as atividades do SEVENTEEN, então fico procurando meu nome na internet (ri). Meu pai cuida muito e valoriza minha família; no trabalho, ele é alguém que se dedica completamente. Eu o respeito como pai, e olhando para ele como um homem que vive com confiança, eu tenho muito a aprender dele. Pelos primeiros 6 meses no dormitório, tinha tantas coisas que eu não conseguia me acostumar do meu estilo de vida antigo, era cansativo, mas os amigos que se tornaram trainees antes me ensinaram muito, e eu consegui me acostumar depois. Quando eu comecei a ter mais ideia das coisas, eu podia me dar bem cantando e dançando, era como pular uma parede. Eu também me sentia assegurado por ter ganho amigos que faziam isso comigo.

Originalmente, eu ouvia muitos gêneros de música. Eu também gostava de hip-hop, então comecei a fazer rap. Apesar de ser minha primeira vez fazer rap, eu tinha um talento inesperado. Acho que rap combina comigo.

Na minha opinião, o charme do rap é sua letra. Escrever sobre o que você pensa e sente, e expressar isso junto com um ritmo é muito divertido. Você consegue sentir esse charme especialmente quando o rap é natural. Usando literatura como um exemplo, as letras de um vocalista seriam um poema, e as de um rapper provavelmente seriam uma redação.

TRAD
jp/cor: _J_Kei
cor/ing: nutjereon
ing/pt-br: Ju – Seventeen Brasil