29/06

O que o conceito desse álbum, “tristeza jovem”, significa para o SEVENTEEN?

VN: O garoto do nosso primeiro álbum, “Adore U”, está crescendo gradualmente. Enquanto ele está se desenvolvendo, fala sobre se sentir triste pela primeira vez.

T8: Mesmo pessoas positivas não tem outra escolha senão se sentirem tristes. Quando se trata desse sentimento, não seria então tristeza jovem, fresca? Os membros falaram sobre isso entre eles.

JS: É verdade. Nós colocamos um pouco de tristeza entre a imagem que já tínhamos criado. Um sentimento sério e atenuado~ (risos). Se normalmente somos entusiasmados quando preparando um álbum, dessa vez estávamos sérios. Especialmente o Jeonghan, que preparou uma expressão de anseio muito boa~

WW: Queremos que aqueles em seus vinte e poucos anos possam relembrar da sua juventude. Algo como: “Ah, nós éramos assim também, certo?”

MG: Hmm… Ao invés de uma separação de namorados, esse álbum é principalmente sobre perda. No palco, cada membro tem sua forma individual de representar esse tema. Cada um parece ter suas próprias emoções para mostrar.

WZ: Honestamente, embora tenhamos dito que o conceito era tristeza, as musicas como um todo não são assim. O som está no seu lado mais alegre, mas a letra é triste. Contudo, queremos superar essa tristeza e é por isso que a letra diz: “não quero mais chorar!”. Esse álbum é sobre o crescimento para conquistar a identidade da juventude.

SK: Prestamos atenção nas notas e na letra para que pudéssemos ter um tom de tristeza entre o tom jovem. Nós nos desafiamos com o gênero EDM (música eletrônica), então você consegue sentir que é bem diferente do nosso álbum anterior, “BOOM BOOM”.

 

Eu ouvi que vocês filmaram em LA, nos Estados Unidos. Houve algum momento engraçado durante as filmagens?

SC: Antes de debutarmos, eu produzia algumas coisas numa pequena sala com um pequeno microfone. Dessa vez, no nosso quarto em LA, nós gravamos com um pequeno speaker. Parecia que havíamos voltado para aquele ponto de início e me senti nostálgico. Foi um momento admirável para os membros.

JH: Quando Joshua veio para a Coreia pela primeira vez, ele contava histórias como, se voltasse para sua cidade natal, seu coração ficaria em paz. Eu não era capaz de entender aquilo, mas agora que fomos, eu entendo. Só de estar lá, tenho um sentimento de calma.

HS: Dessa vez, a Performance Unit teve aulas de dança de um coreógrafo estrangeiro. Aquilo foi o mais memorável. Foi fascinante estar junto com um artista que eu acompanho, apenas em vídeos, desde a época de trainee. Foi o sentimento de estar perto de alcançar meus sonhos.

T8: Já que fomos para LA dessa vez, quero poder fazer um show com os membros na China na próxima vez. Seria um sentimento de voltar para casa com glória.

 

Dessa vez, diferente de “Adore U” até “BOOM BOOM”, que tinham imagens divertidas, tristeza foi adicionada. Para preencher essa lacuna, que mudanças foram tomadas?

DN: Eu assisti muitos filmes sobre não querer chorar, ouvi muitas músicas. Para combinar nossas emoções, todo mundo falou e compartilhou muito.

T8: Sim! “Questão de Tempo”, “Um Dia” , “Antes Que Termine O Dia”, etc. Em dias que eu tinha tempo, assistia muitos filmes tristes. Acho que passei por quase 20 deles.

JH: Se você ouvir “On Rainy Days”, do B2ST-sunbaenim, ficará emocionado.

MG: Nós nos divertimos brincando entre os membros, então para segurar um lado sério, conversamos muito. É claro que não funciona bem~ (risos). Nós somos alegres, então começamos a nos preocupar se ficaríamos bem no palco. Mas, na verdade, durante o showcase, quando vimos as fãs na nossa frente, ficamos com vontade de chorar, então a performance foi ótima.

JS: Pessoalmente, eu pego meus sentimentos bem quando assisto filmes sobre família, como “Miracle in Cell Nº 7” e “Wedding Dress”*. No início, quando eu era trainee, era difícil vir para um lugar não familiar como a Coreia e estar separado dos meus pais. Agora que tenho os membros como a minha família, não fico solitário, mas ainda tenho sentimentos tristes quando penso nos meus pais.

 

SEVENTEEN é famoso por ser um grupo que se auto-produz, e que é formado pela Vocal Unit, Hip Hop Unit e Performance Unit. De onde vocês tiram suas ideias, normalmente?

HS: Ao invés de receber inspiração especial, eu normalmente assisto coisas com frequência. Assisto coreógrafos estrangeiros, filmes. Dessa vez, assisti muita dança moderna. Eu gosto de apenas pensar e imaginar na minha vida cotidiana. Para dar um exemplo, quando vejo um objeto, penso que tipo de sentimento teria quando conectado com uma dança.

WZ: Tudo? Eu não sou um gênio que é capaz de, de repente, acordar dizendo: “Ah!” e imediatamente escrever algo. (risos) Mesmo enquanto conversando, eu escrevo uma nota. Quando falando com os membros, escrevo algumas coisas, coletando ideias vagarosamente, com sinceridade.

WW: Com frequência eu coloco nas letras imaginações que sentidas na vida. Na música “Fronting”, tem uma parte que diz: “Conhecendo ruas debaixo das luzes vermelhas, o que acha sobre nos beijarmos?”. Essa foi uma ideia que surgiu quando estava passando por um semáforo e vendo os casais que expressavam suas afeições um pelo outro.

DN: Todos os membros se esforçam para fazerem tons que combinam com a vibe da música. Se é uma música calma, então temos emoções calmas. Nós trabalhamos duro pensando como fazer nossas partes individuais aparecerem com força e expressar um sentimento novo e diferente.

JH: Espaço também é importante. Nós sempre produzimos em uma sala pequena. Na sala, os treze ficam aglomerados para produzir. Naquele lugar, nós apenas jogamos palavras e histórias que combinam com o tema, tudo~. Pensando nisso, muitas ideias divertidas surgiram.

DK: Brainstorming é essencial para nós. (risos)

 

Para esse álbum, tem algum ponto que pede aos fãs para “olharem mais uma vez”?

MG: Muitas letras do nosso álbum estão conectadas com a letra original. Desde “Adore U” do 1º mini álbum até agora, não teve uma vez que não disséssemos palavras sobre amor. Palavras leves como “você é bonita” ou “eu te adoro” ou “mansae” sempre foram usadas. Anteriormente na música “Adore U”, o garoto que simplesmente dizia “eu vou te adorar!” agora está mais rico em emoções como “Onde você foi, deixando eu que adorava só você?”. Nós expressamos aos fãs que esse garoto agora é capaz de dizer palavras sobre o amor mais seriamente.

SC: Certo~! A afeição pelos fãs é mais profunda dia após dia. Até agora, nos não éramos capazes de falar para os nossos fãs que os amamos tanto. Foi uma pena que durante “BOOMBOOM”, a música não conseguiu expressar muito bem. Os fãs estavam focados na nossa produção dessa vez. O objetivo agora era devolver o amor dos Carats.

HS: Uma coisa que focamos um pouco mais foram as confusões do garoto e as emoções tristes que expressamos pela dança. A chave foi transmitir (o sentimento) bem. Na Performance Team, nós praticamos e dançamos freestyle também, a tristeza era nos ajoelhamos.  Esse é o ponto chave de “Don’t Wanna Cry”. E também, um dia, eu estava ouvindo a música enquanto voltada para o dormitório, a luz piscou (acabou e voltou na mesma hora). No 2º verso durante a parte do S.Coups hyung “Um caminho que era familiar~”, enquanto eu andava, aquela sensação não desaparecia. Para dar vida a aquela memória, adicionei luzes como se estivessem piscando na coreográfica. Reparem mais uma vez (risos).

T8: O Jun-hyung e eu compusemos “MY I”. As nossas habilidades em coreano são falhas, então escrevemos a letra em chinês, e depois traduziram para o coreano e produziram. Já que é a primeira música que participo escrevendo a letra, o significado é único. Seria bom se vocês pudessem dar muito amor a música.

WZ: Isso. (risos) E eu espero que as emoções tristes do jovem garoto sejam vista como o ponto central. É o resultado do trabalho duro em todas as músicas do SEVENTEEN e as ideias de todos os membros.

 

P6) Tendo 13 membros, não da para evitar que vocês tem opiniões diferentes. É difícil mediar as opiniões?

SK: Ninguém é teimoso. Por exemplo, se o Hoshi-hyung escrever uma música que não combina com o nosso consenso, nós vamos falar “Hoshi~, você está cansado?”, nós provocamos uns aos outros assim. (risos) Nós realmente levamos na brincadeira sem nenhum problema.

WW: Na verdade, tínhamos pontos de vistas mais diferentes antes do debut. Não era resolvido então cada um escrevia sua música individualmente. Mas com o passa do tempo, nós descobrimos como combinar nossas opiniões. Agora, como nosso objetivo, nós temos feito o nosso melhor para descobrirmos juntos o que podemos fazer. Em outras palavras, nós aprendemos qual o melhor jeito de termos consideração.

DN: Na verdade, ao invés de produzir músicas, nós somos mais mente fechada quanto a coisas menores. Por exemplo, Junie-hyung! que tal você parar um pouco com as provocações~? (risos)

 

Parece que o menino que antes era apenas brilhante agora se transformou em um homem com um grande entendimento sobre suas emoções. Por favor, retratem os lados do SEVENTEEN se tornando homens.

MG: Acho que é um momento em que você se torna homem. Eu vi o photoshoot do ano passado da Star1. Só se passou um ano e as fotos que tiramos agora são diferentes das do ano passado. Apesar de que também será assim no futuro, sinto que tenho que ser um adulto agora. Músicas como “Adore U” e “Mansae” são historias para quem está entre os 10 e 20 anos. Mas agora o garoto cresceu também. Mesmo sendo difícil. (risos)

WZ: Toda vez que há um álbum, nós mostramos apenas lados do nosso crescimento. Não teve uma vez que não olhamos para o futuro. Se você olhar para o seu próprio desenvolvimento, vai crescer naturalmente. Então você vai ser capaz de mostrar o seu próprio crescimento. Eu também estou curioso sobre o SEVENTEEN de amanhã. (risos)

WW: Se tornar um homem a partir de um menino é uma coisa que muda o cenário. O garoto pode sentir muita coisa enquanto experimenta a vida social~. Baseado nesse tipo de coisa, eu gostaria de ver muitas dessas coisas dissolverem.

 

Vocês receberam o 1º lugar em programas de músicas e vários prêmios durante cerimônias de premiação. Vocês sentem que a popularidade do seu grupo está crescendo?

HS: Dessa vez no <2017 Dream Concert>, a sequencia mudou. (risos) Nós ficamos chocados e fascinados por estarmos nos apresentando na parte final. Nós somos agradecidos aos Carats.

JH: Não tenho certeza sobre a popularidade…? Mas algo mudou. Com os membros, houveram várias coisas que nós tivermos que passar. Nós experimentamos o sentimento de sermos sensíveis uns com os outros. Nós também fizemos coisas legais enquanto aprendemos a entender um ao outro. Nós estamos todos juntos, nós caímos constantemente em risada e é nesse momento que sinto que somos um time. Às vezes, essa emoção aparece uma ou duas vezes.

WZ: Nada mudou. Nós fazemos as coisas normalmente… como um grupo que está progredindo, nós estamos trabalhando muito.

J: Isso. Eu achei que depois de debutar tudo seria confortável. Olhando só para o lado extravagante dessa vida, você pode acabar preenchendo essa desilusão. Mas eu sei que não é assim. Eu tenho que trabalhar e crescer.

JS: Show solo é como um sonho! Quando éramos trainees, 100 Carats vieram, mas agora durante o showcase ou gravações, são tanto os que vêm apoiar que eu nem conseguo acreditar. Eu sou agradecido e fico fascinado. (risos)

 

Se vocês pudessem apontar uma razão para o SEVENTEEN estar recebendo tanto amor?

SC: Primeiramente, nós temos muitos integrantes, então a energia que transmitimos é muita. 13 energias diferentes que juntas produzem a melhor sinergia, esse é o nosso time.

VN: Isso mesmo. Quando estamos nós 13, nós transbordamos energia. Sinceridade? Fazer música que é só do SEVENTEEN e a sinceridade é diferente dos outros quando estamos no palco.

SK: E a ansiedade. Eu irei e serei ambicioso são diferentes. No palco nós sempre dizemos “Vamos acabar antes de quebrarmos o palco!”. Teve uma vez que nós realmente quebramos e os produtores nos imploraram para pegarmos mais leve. (risos)

 

TRAD

cor-ing: BOO_UNIVERSE

ing-PT/BR: Lais e Ana – Seventeen Brasil