07/09

Debut do novíssimo príncipe ídolo “Mingyu”: homem bonito & charmoso do “SEVENTEEN” que veio com infinita intenção e ação desafiadora pela primeira vez na Tailândia.

Não limite a linha da sua vida apenas em ser “sem talento” porque você não sabe quando uma oportunidade pode aparecer. Sua vida poderia mudar como a do ídolo de 20 anos “Mingyu” do “SEVENTEEN” que começou dando a si mesmo uma chance para aprender coisas novas até gloriosamente tornar-se um artista simpático e admirado.
Seu ponto forte não é apenas a fofura, mas também seu grande esforço e busca por desenvolvimento sempre. Então não é estranho que ele seja intitulado como “artista que pode fazer de tudo”. Tendo 2 anos de experiência sendo parte de um grupo que contêm 13 membros, Mingyu não só se destaca no visual ou força, mas também sempre adiciona novas coisas a bagagem o máximo possível porque o trabalho duro não é grande coisa para ele.

As fãs estão tão curiosas sobre as notícias que você se tornará um convidado do sitcom “LoungTa MaHa Chon”
M
: No começo desse ano trabalhei na Tailândia e tive uma grande oportunidade de conhece-lo (P’Ae Suphakorn Riensuwan, diretor do programa), nós conversamos informalmente sobre meu passado, “como eu estou crescendo” e eu o disse a verdade. Talvez isso fez com que ele me amasse e foi meio que uma “audição” pra mim também. Quando soube que ia ser um convidado do sitcom fiquei: “Oh… sério?”. Eu não conseguia acreditar, mas me senti muito grato e concordei em seguida. Na minha cabeça, tudo que podia pensar era: “Eu farei o meu melhor”. Desde o dia que ganhei meu roteiro tendi a lê-lo bastante e quando não entendia algo, pesquisava sobre. Eu até tentei memorizar todos os atores com que irei trabalhar.

Estão considerando como sua estréia surpresa na Tailândia e você também veio sozinho. Está animado?
M: Isso é minha estréia como ator também. Me sinto um pouco preocupado porque queria ser um quando era mais novo. Agora eu tenho uma boa oportunidade. Eu pensei: “Será que farei bem?”. E quando estou trabalhando, costumo estar com os membros, mas dessa vez eu trabalharei sozinho, então me sinto mais responsável. Porque meu título é “o Mingyu do SEVENTEEN”, sinto que tenho que ter responsabilidade para as pessoas não ficarem com uma má impressão do meu grupo. Pra ser honesto, essa é minha primeira vez então não tenho ideia nem mesmo da atmosfera de uma produção. Tenho praticado bastante com meu roteiro. Uma semana antes de vir a Tailândia eu deitei na cama e pensei: “Eu posso dormir? Devo ler o roteiro mais uma vez?”. É difícil dormir por causa disso.

Ouvi dizer que fará um artista que ficou perdido nesse sitcom…
M: Meu personagem é “o Mingyu do SEVENTEEN”, isso me deixa aliviado porque atuarei como eu mesmo. Sou animado, engraçado, desafiador, cheio de energia, as vezes confuso, gosto de estar com as pessoas e amo muito me aventurar.

É verdade que você se tornou trainee sem fazer audição?
M: Eu fui selecionado. Quando tinha 14 anos, estava andando quando me pediram para participar da audição. Minha família sempre me disse: “Se você tem a chance de aprender algo novo… vá em frente!”. Quando fiz a audição sabia que não tinha ido bem, mas eles me disseram: “Se você quer isso, continue tentando”. Desde sempre quis ser um artista, mas não era bom e era muito novo. Na audição me disseram pra cantar, porém não consegui pensar em nada então cantei o hino nacional. (Quando você era jovem já estudou música?) Eu tocava baixo na banda da escola e guitarra na igreja, mas nada tão sério.

Pela sua perspectiva, como a sorte mudou sua vida?
M: Ela mudou. Eu tenho uma chance em relação ao meu objetivo e gasto o tempo de maneira digna, pois tem bastante significado pra mim. Me sinto sortudo por poder evoluir todo dia e me aproximar dos meus sonhos. Porque isso é o que gosto de fazer e faz com que minha vida seja significativa. Lembro quando era trainee, ficava extremamente curioso “estou cantando ou dançando?”, mas não eram ambos. Então pratiquei tanto que pude ser bom como os outros mesmo que eles tivessem trabalhando duro também. Eu sempre disse a mim mesmo que devia dar o meu melhor mesmo não sabendo se me tornaria uma artista ou não. Eu não sou bom com as coisas, mas venho avançando cada dia.

A Pledis Entertainment fará uma audição global aqui. Você é um veterano, então poderia dar umas dicas paras todos que querem ser um artista como você?
M: Eu diria pra fazerem o que gostam de fazer e irem atras de seus objetivos cada vez mais. Agora não sabemos se estamos fazendo certo ou não, mas se fizerem, um dia seu sonho se tornará realidade. Eu gostaria que todos focassem no seu sonho não importando de onde é. Se você sonha em ser um artista ou um ator. Aplique-se e treine bastante. Espero que essa audição ajude vocês.

A sua vida depois da estréia é diferente do que imaginava?
M: No começo, eu imaginava que receber muito amor ia me fazer feliz. Depois da estréia, eu me divirto com o que faço e me sinto feliz.

Vários artistas sentem que ganham energia ou felicidade quando estão no palco. Você sente o mesmo?
M: Com certeza! O sentimento de estar no palco e ouvir a torcida de todos me dá energia. Quando estou lá e performo, fico tocado por todos. Eles olham pra mim com tanto carinho. Essa minha felicidade depois de estrear é algo que nunca pude pensar antes.

Como se sente quando alguém admira seu rap desde sua estréia dois anos atras?
M: Sério?… Sinto que está melhor do que no passado também (risos). No começo não sentia isso. Mas quando eu reouço as músicas que cantei desde a estréia, é embaraçoso e engraçado ao mesmo tempo. Eu faço rap melhor agora?

Quais os prós e contras de ter tantos membros?
M: Nós temos 13 membros. Então tomamos bastante tempo, seja pra se arrumar ou para comer, nós gastamos bastante e demoramos pra terminar as refeições. Mas quando um membro não esta presente parece que falta algo e estou sozinho agora. Não nos sentimos sozinhos, já que sempre estamos juntos. Nós sempre estamos animados e fazendo coisas engraçadas. Somos uma família, que permanece junta em qualquer lugar. Quando estamos com fome, comemos todos juntos. Pra qualquer lugar onde queremos ir, vamos juntos. E voltamos pro dormitório juntos. Estamos sempre unidos.

Você tem 20 anos agora. É uma transição do adolescente para o adulto. Tem algo de novo que gostaria de fazer?
M: Quando era mais novo pensava em tirar a carteira de motorista quando crescesse, então agora eu já tenho a minha e já faz um ano praticamente. Eu não sei se é só coisa da minha cabeça, mas virar adulto parece que faz com que meu humor torne-se mais sério e mais intenso enquanto trabalho.

O modo de vida por trás do título de ídolo te faz sentir pressionado? Porque as pessoas esperam que faça isso e aqui.
M: Não é um apressão pra mim. Eu tenho várias coisas que quero fazer, incluindo minha promessa que fiz para minhas fãs e para mim mesmo. Que é lembrar-me que sempre há mais. Não é uma pressão que me leve ao estresse. É natural quando as pessoas te dão muito amor e nós fizemos uma promessa. Nós faremos de tudo para retribuir esse amor. Recentemente o Hip-hop Team liberou uma música nova “Un Haeng II Chi”. O significado da letra é você receberá aquilo que disse. Me lembro de dizer as fãs que queria ser um artista melhor e que esperava encontra-las num lugar maior. Estou tão feliz que pudemos fazer esse tipo de show na Tailândia. E eu fiz uma promessa a mim mesmo no trabalho, incluindo finalizar uma música por semana ou fazer exercícios diligentemente.

O que você acha que as fãs pensam a seu respeito?
M: É constrangedor responder essa pergunta. Eu acho que sou adorável. (Você tem outra opinião?) Não vou negar, não me acho fofo (risos). Não tenho certeza do que as pessoas acham de mim, mas o Mingyu na vida real e o da TV são os mesmos. Eu não escondo nada. Sempre penso positivamente. Se me perguntassem qual a situação que mais odeio na vida, diria que é o estresse, certo? Quem gosta disso? (risos). As vezes nós passamos por situações difíceis, mas eu sempre digo a mim mesmo que tudo vai dar certo e que tudo vai passar.

As fãs sabem que você é um ídolo que pode fazer de tudo, incluindo cozinhar, limpar ou se aventurar…
M: Talvez pelos meus hábitos, eu gosto de me incluir quando vejo uma pessoa fazendo algo. Eu quero ajudar. Mesmo quando o quarto está uma bagunça, nós podemos conversar enquanto ajudamos uns aos outros. E também faço por mania de limpeza. Nós podemos cozinhar também e, estranhamente, se eu estou cozinhando algo para eles e eles estão felizes por isso, me sinto feliz também! Acho que as fãs veem o lado positivo, tipo “ele pode fazer qualquer coisa”. Desde meus 14 anos, quando vivia no dormitório, nos dias que ia pra minha casa e meu quarto já estava arrumado. Agora, minha mãe deu meu quarto para minha irmã. Talvez porque eu tive a chance de ajudar minha mãe a limpar naquela época, eu tenha vontade de ajudar as outras pessoas atualmente. (Não fica cansado?) Se eu fico cansado por trabalhar muito, não limpo ou cozinho. Eu faço quando tenho tempo. As pessoas podem entender errado e achar que faço tudo sozinho, mas não.

Já fez algo mal-feito?
M: Eu acho que não, mas se eu tento fazer algo, faço bem. (Talvez as fãs te queiram nas casas delas!) Eu poderia ajuda-las bastante. (sorri)

Um ídolo tem pouco tempo livre. Isso é verdade?
M: Sim. Não são só ídolos, mas também qualquer um que quer ser bom em algo, ele deve trabalhar duro e focar nos seus objetivos. Quando as promoções acabam, nós temos que nos preparar para o próximo álbum. Trabalhando toda hora. Quando o dia de folga chega, nós pensamos no trabalho então dias de folga não tem muito significado para mim. (Já quis descansar, mas tinha que continuar trabalhando?) Às vezes sim, mas quero me deixar ocupado e trabalhar muito porque se for descansar os outros vão ter que trabalhar mais ainda. (Parece viciado em trabalho) Eu pareço? Eu amo trabalhar. Não posso fazer nada.

Vale a pena trocar a vida de um adolescente normal por uma de trabalho como essa?
M: Sem comparações. Porque ambos possuem prós e contras. Essa é a verdade. As pessoas podem pensar que sou muito novo e não tive tempo para me divertir. Mas eu sou muito feliz por trabalhar assim. Mesmo que elas pensem que estou cansado porque trabalho toda hora, eu recebo tanto amor que quero melhorar cada vez mais.

Agora você tem dado bastante amor para suas fãs coreanas e internacionais. Já teve dúvidas sobre como seu futuro será?
M: Eu não quero pensar nisso. Eu só tenho planos de fazer um pouco disso ou de fazer mais daquilo. Eu me imagino muito nos meus sonhos. Porque acho que desenhar-los faz com que os alcancemos mais rápido. Gosto de planejar tudo. E agora, meu objetivo a prazo curto é esse sitcom. E a longo-prazo é fazer tudo que eu quero fazer.

[Diga me, e se…]

P: E se um dia você acordasse como um estudante de colégio normal?
M: Eu não gosto dessa ideia… mas se acontecesse. Eu escreveria todas as nossas músicas antes do Woozi fazê-las (risos).

P: E se você pudesse ter 17 outra vez?
M: Na verdade eu não gostaria (risos) mas se eu realmente tivesse 17 de novo me esforçaria bastante, porque acho que faria meu eu atual melhor.

P: Quando você está sozinho, qual membro do seventeen você chama?
M: Quando eu fico sozinho. Eu apenas dou meia volta e os membros sempre estão lá (porém agora na Tailândia) eu não pude ligar para nenhum deles. Mas mandarei uma mensagem no chat do grupo dizendo que me sinto sozinho e perguntarei o que estão fazendo.

P: E se você pudesse falar o que vem a cabeça para os membros?
M: Eu diria que admiro o quão bom eles são toda vez que os vejo trabalhando. Eu elogiaria e agradeceria eles por trabalhar tão duro.

P: Quando você está de mau humor…
M: Eu não penso nisso e digo a mim mesmo pra passar: “Quando você acordar tudo será melhor.”

TRAD
thai/eng: redthread95, OdongGyu
eng/pt-br: Anna – Seventeen Brasil